CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

NAS MÃOS DO PASSADO …

Acórdão adormecido,
acordar prometido dormir para sempre
no sono insano de uma insónia de saudade.

Silêncio afiado como um sabre impiedoso.

Aclaração guardada
no escuro de uma gaveta que não se abre
aos gozos que obsecram ao corpo pesos fúteis.

Teares que enredam a carne em gulas de campa rasa,
covas como casa onde a eternidade habita só.

Sustentáculos ancorados num grito ao vento,
como vassouras recorrentes no Outono.

Folia de vogais indecifráveis,
fobia de infinitos intácteis.

Arranques parados no lento andar do tempo,
corrupios de pé plantado em tontas voltas.

Atraso em pressa
que doa gente às velocidades do nada.

Asa que voa impressa à toa pelos ares de sufoco
que dilatam as retinas soltas dos calabouços da poesia,
até que se atem aos imaginários e desatem hilários risos.

Juízos tilintantes, mágoas turvas
que fazem pontes curvas entre nenhures.

Guizos arrepiantes,
águas correntes por leitos de solidão.

Choros como jorros de fontes secas algures
nas mãos do passado.

Lembranças como luvas de um dedo só.

Dedais de sol-e-dó como unhas roídas sem dó
até aos sabugos da alma.

.

.
.
.

Submited by

quarta-feira, fevereiro 13, 2013 - 23:05

Poesia :

Your rating: None (3 votes)

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 1 semana
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.808 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.548 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.157 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.078 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.940 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.943 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.622 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.654 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.288 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.801 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.152 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.315 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.597 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.759 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.017 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.837 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.657 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.639 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.836 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.527 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.415 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.355 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.401 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.721 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.604 01/16/2015 - 19:47 Português