CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

VINHOS DE SOLIDÃO …

Enferrujados,

correm os sangues
das minhas árvores interiores.

São as minhas dores calhaus,

paus de vento e lágrimas
pelas nervuras de uma folha morta.

(a cara de um poema já sem risos)

Juízos

como estrondos sem corda
para escalar os poços do pensamento

que deste insano Outono jamais acorda.

Como um rio sem leito,

vai deitado o meu olhar imperfeito,
dilatado como um grito fugidio para o ar.

Escuridões sem pão,

são os vinhos desta nua solidão.

Irada lua,

como um animal enraivecido
a invadir as ruas da minha alma.

Saudades frias,

como estrelas vazias
que fazem comichões na pele da noite.

Passos descalços,

como sopros a esbugalhar o infinito,
um bafo deserto no hálito velho do tempo.

.
.
.
.

Submited by

sexta-feira, março 1, 2013 - 23:01

Poesia :

Your rating: None (4 votes)

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 1 semana
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de joanadarc

Bravo, amigo...dá vontade de

Bravo, amigo...dá vontade de gritar tudo isso, que acabaste de escrever.

http://youtu.be/G0mzLQyd36A

Let it burn...

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.809 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.548 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.157 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.078 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.940 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.944 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.622 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.654 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.289 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.801 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.152 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.315 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.597 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.759 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.017 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.837 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.657 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.639 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.837 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.528 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.415 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.355 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.401 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.721 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.604 01/16/2015 - 19:47 Português