CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

NÃO DESISTO DE MIM

Sento-me triste num banco de jardim áspero
Onde as árvores são sacudidas até o cair das folhas
Por um vento de saudade que me sopra no peito
As plantas vergam-se à amargura que engulo a seco
E as flores mais belas bebem as minhas lágrimas
Tornando-se em tons cinzentos de um preto e branco
Que solto rastejando em suspiros venenosos
Envenenando o meu rosto com melancolia
Os pássaros orquestram marchas fúnebres no ar
Poluído com choros de dor que o meu olhar larga
Ao largo do horizonte com gritos deprimidos
Rompendo um buraco negro que me suga até si
Ao centro do jardim há uma estátua de espinhos
Que outrora era silhueta de um corpo esbelto
Esse busto espinhoso indica-me a saída deste jardim
De horrores dissabores plantados no meu chão rugoso
Que piso descalço ensanguentado em atritos cortantes
Uma desilusão ponte e aguda cravada no teor do dia
Uma saudade pelo tão pouco que peço e não tenho
E a raiva exibe-se volumosa ao revistar os sentimentos
Armadilhados como um suicida á flor da minha pele
Onde as explosões de rugas marcam carências
Que os meus desejos rogam e invocam nesta gruta
Onde dormem monstros famintos de sonhos
E vermes sedentos de beber toda a minha esperança
Caminho de olhos postos nos textos escritos no chão
Pela mão de um tempo morto que leio desfocados
Aperto as minhas mãos num nada tão sólidas e frias
Arrefecendo-me o corpo mas nunca a alma
Longe de tudo e mesmo assim não desisto de mim

Submited by

quarta-feira, maio 21, 2008 - 14:18

Prosas :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 7 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de MarneDulinski

Re: NÃO DESISTO DE MIM

Mestre Henrique!

Lindíssimo Poema, gostei demais!
Gostei no todo
Meus parabéns,
Marne

imagem de Anonymous

Re: NÃO DESISTO DE MIM

Fusão do onírico com o macabro,forja um belo texto.

beijo

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.063 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.635 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.249 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.154 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.008 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.021 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.714 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.702 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.468 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.849 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.302 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.380 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.649 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.865 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.206 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.881 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.776 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.783 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.946 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.566 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.481 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.400 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.438 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.772 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.685 01/16/2015 - 20:47 Português