CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

SEM AMAR A NÓS, NÃO AMAMOS A ELES

Para nos darmos como aptos para o amor
Temos de sucumbir todas as dúvidas de nós
Ser livres de preconceitos que nos fazem recuar
Deixar para trás demagogias que ferem
O nosso novo lugar no trono de amar
Um reinado que apenas pode ser tomado
Se amarmos sem mas sem ses a nós próprios
Temos uma balança que pesa a personalidade
Um peso sem medidas de uma conta injusta
Que apenas avalia os defeitos com mau feitio
Que cada um de nós julgar ter poder para julgar
Um peso de virtudes na qualidade de amar
Ser incapaz de julgar é ter o poder de amar
É o enriquecimento de luxo na nobreza da alma
Não nos aceitarmos é uma tortura inconsciente
Perdendo assim o rigor do nosso ego
Passivos de uma alegria de flores murchas
Uma briga de mau odor no nosso interior falido
Temos de expulsar este gangue de medos
Duvidas e orgulho que adoecem o próximo passo
Não é necessário aptidão para conseguirmos amar
Não temos prazos nem padrões a respeitar
Amar é sermos assaltados por sentimentos
De outrem que nos rouba toda a atenção
Amar só tem uma saída por onde entrarmos
Saindo de nós e deixando que nos amem por tudo
Entrando sem nada a exigir para amarmos
Subindo ao nível cru da verdade

Submited by

sábado, março 15, 2008 - 18:05

Prosas :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 7 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.063 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.635 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.249 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.154 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.008 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.021 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.714 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.702 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.468 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.849 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.302 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.380 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.649 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.865 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.206 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.881 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.776 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.783 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.946 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.566 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.481 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.400 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.438 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.772 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.685 01/16/2015 - 20:47 Português