CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

SONHO PRESO NUMA TEIA

Que boleia é esta que me dou numa nuvem
De conforto asperamente rude e tão frio
Trazida pelo vento do destino que não sopra sorte
Sem leme pairado sobre um nada que me confunde
Nos rastos que minha sombra deixa peganhosos
De um passado que escorre borrando as paredes
Erguidas em fumo de fantasmas desequilibrados
Rosnando frustrações que me fazem ver no escuro
O imaginário do quanto já perdi que nunca tive
Ceifando a silhueta da minha alma quase falida
Numa vertigem que manipula o meu sentir
A dor é um corpo de chumbo á deriva
Em lágrimas espessas que ficaram por chorar
Apodrecendo lembradas num coração esquecido
Reconhecidas num aperto que engulo a seco
Pelos arranhões que ferem a esperança pouca
Revolto-me cansado de um nada que foi tudo
Ausente do tempo que nunca foi tempo presente
Por onde vagueia o ser ou não ser da minha questão
Sinto aproximar o sujo do chão ás minhas mãos
Tocando no quão pequeno sou rastejante
Diante dos meus sonhos presos numa teia
Teada a medo pela mão de um tormento
Tornando-me presa fácil de mim predador difícil

Submited by

terça-feira, abril 22, 2008 - 15:10

Prosas :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 5 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.985 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.606 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.215 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.136 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.984 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.007 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.683 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.681 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.420 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.826 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.246 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.362 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.626 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.816 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.158 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.870 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.738 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.746 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.917 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.558 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.463 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.386 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.425 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.751 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.656 01/16/2015 - 20:47 Português