CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

NA VULNERABILIDADE DO SUPLÍCIO...

 

 

....

 

 

 

 

 

 

Carlos Santana Ft. India.Arie & Yo-Yo Ma - While My Guitar Gently Weeps



Powered by mp3skull.com

 

 

Fujo do que sinto
Da definição que me tenta
Agarro-me à memória que me atormenta
Num suplício                                                                                           
Que junto, como se dor
Como se do precipício
Afugentasse a vulnerabilidade
Privasse meu corpo da liberdade
Que reduz todo o meu ser
À sua insignificante impotência
Púrpura irreversibilidade de TE não ter…

Dentro, num imenso TU de ausência
Talvez o TU mais único e ausente
Que alguma vez vi transcrito
A fogo gravado
  Não circunscrito
Ou mesmo a ferros cravado
Olho-me por dentro desfeito
Não sei se pisado ou rasgado…

E nem a ausência
Nem a fuga a direito
Me servem de aliviado sossego
Apenas o som dos despojos enfrento
Como se a saque, meu corpo se encontrasse
Restando-me livre o espírito
Que voa gritando
Como se chama velasse, este tormento
Disfarçado de divindade
Que me deixou o diabo
Que de si, dizem indefinível ser, o significado…


Uma COISA, imensa
Que cresce sem dó nem piedade
Um BICHO, que dia e noite me reinventa
Reconstruindo-me, sádica e minuciosamente
 Para que, de si, me torne de novo iguaria, nesta infindável tormenta…

 

De seu nome SAUDADE, é de DOR que se alimenta... Precisa e meticulosamente!!

                                                                                                                        :

                                                                                                                        :

                                                                          (Sem tamanho a que sinto)  :

                                                                                                          (Tremenda a minha)

 

Rzorpa

 


 


 

Submited by

quinta-feira, julho 21, 2011 - 01:26

Poesia :

Your rating: None (3 votes)

RZorpa

imagem de RZorpa
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 anos 15 semanas
Membro desde: 06/24/2011
Conteúdos:
Pontos: 685

Comentários

imagem de rainbowsky

Impossível

Olá! RZorpa!

Não podia ler este poema sem deixar aqui algumas palavras sobre ele. Era impossível.

Da primeira à última linha vi as letras (como que impressas num espelho) onde eu próprio me olho muitas vezes.

E uma memória que atormenta, um conformismo de querer e não ter. Uma púrpura irreversibilidade... (as lágrimas  sangrentas do coração?)

Uma construção arrebatadora, de uma "monstruosidade" de poema, que dói, que arde, que dilacera a pele do corpo e da alma inapelavelmente.

A ausência é tão grande que é como um fogo não circunscrito, assim como a dimensão da saudade e da dor. Por mais que se combata... essa chama insiste, insiste...

E para finalizar (algo que parece nunca findar):

 

Uma COISA, imensa
Que cresce sem dó nem piedade
Um BICHO, que dia e noite me reinventa
Reconstruindo-me, sádica e minuciosamente
Para que, de si, me torne de novo iguaria, nesta infindável tormenta…
De seu nome SAUDADE, é de DOR que se alimenta... Precisa e meticulosamente!!

 

E uma vunerabilidade do suplício, porque a saudade e a dor não têm medida:

                                      (Sem tamanho a que sinto)  
                                      (Tremenda a minha)

 

 

Este poema merece um voto 5 estrelas. Tem essência e é transparentemente doloroso.

Meticulosamente dei por bem empregue o tempo que passei por aqui.

Uma dedicatória que a quem se dirige dificilmente ficará indiferente.

 A imagem fantástica e a música complementam na perfeição.

Gostei muito.

 

rainbowsky

 

imagem de RZorpa

Penitenciando-me pelo atraso... Agradeço!

Olá Rainbowsky,

Devo confessar a minha surpresa pela eloquencia do teu comentário. Posso apenas garantir-te que são palavras (as minhas) que revelavam um sentimento absolutamente impossivel de conter naquele momento. Penso teres percebido essa urgencia. E é claro que quando te expressas em momentos de grande emotividade, como foi esse, "dizes" o que não compreendes ainda e que sem dúvida, a sua compreensão por outros, te ajudam tb a acalmar esse turbilhão e a racionalizar melhor  

Mas o teu comentário é que é indiscutivelmente de nota 6 estrelas. Não porque percebo o teu elogio, mas pela poesia que ele encerra e capacidade de interpretaçao INQUSTIONÁVEL!

Estou-te realmente grato pelo tempo que dispensaste a este escrito, certo de que as minhas responsabilidades aumentaram.

Obrigado!

Rui

imagem de MariaButterfly

Tremenda a dor quando fugimos

Tremenda a dor quando fugimos daquilo que no fundo
Queremos correr,
Como que correndo para uma ausência,
E fugindo daquilo que no fundo sabes ser razão de dor, mas que persegues.

Gostei da tua poesia, e de ler.
e da imagem linda!linda!

Beijo
 

imagem de RZorpa

QUE ALIVIO...

Por vezes, inexplicávelmente, cada vez que percebemos que estamos a partilhar algo com alguem, e que somos entendidos através do objecto que partilhamos, a sensação de alivio é enorme. A tensão que nos leva a termos de nos expressar, parecece que se desanovia, percebendo uma certa calma retornar... Obrigado Maria!

Enorme o meu... Beijo que te deixo!

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of RZorpa

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Dedicado PORQUE HOJE, TE BEIJARIA SEM FIM... 4 1.243 05/10/2012 - 19:23 Português
Poesia/Dedicado "MEU AMOR?"... MAIS QUE UM LIVRO! 19 2.735 02/23/2012 - 12:22 Português
Poesia/Dedicado A TI, DESTINADO PERFUME... 7 1.366 02/05/2012 - 17:41 Português
Poesia/Dedicado CUMPLICE QUE ME ROUBAS A DOR… 6 1.776 01/02/2012 - 02:02 Português
Poesia/Dedicado EM LOUCOS DEVANEIOS FRENTE AO POETA, SENTADO... 22 2.364 11/29/2011 - 06:12 Português
Videos/Poesia ETERNAMENTE... 6 2.108 11/28/2011 - 14:19 Português
Fotos/Eventos "Meu Amor?" - TODOS SERÃO POUCOS... 6 1.956 11/16/2011 - 05:57 Português
Poesia/Dedicado QUE NUM MOVIMENTO, ME ARRANQUE DE TI… 11 1.947 11/16/2011 - 05:38 Português
Poesia/Dedicado TODOS SERÃO POUCOS... MAS CADA ABRAÇO, TERÁ O TAMANHO DO MUNDO! 17 1.766 11/01/2011 - 15:36 Português
Poesia/Dedicado SINTO MUITO, MEU AMOR... 3 1.742 10/31/2011 - 01:20 Português
Poesia/Dedicado O TODO - Corpo e Alma...! 39 3.638 10/25/2011 - 00:49 Português
Fotos/Outros MEU AMOR? 8 1.878 10/22/2011 - 18:00 Português
Poesia/Dedicado ALBUFEIRA, A LAGOA ONDE O SONHO SE PÔS, COM O SOL… 2 1.481 10/18/2011 - 07:40 Português
Poesia/Dedicado O PASSO A PASSO DE UM TODO - O mais importante dos passos 7 2.019 10/17/2011 - 21:43 Português
Poesia/Amor O PASSO A PASSO DE UM TODO - Fragmentos 8 2.000 10/15/2011 - 17:41 Português
Poesia/Amor O PASSO A PASSO DE UM TODO - Post Scriptum 6 1.231 10/10/2011 - 03:07 Português
Poesia/Dedicado O DESEJO QUE O MEU DESEJO TEM, DE TANTO DESEJAR… 15 2.739 10/10/2011 - 02:10 Português
Poesia/Amor O PASSO A PASSO DE UM TODO - O titulo 2 1.115 10/08/2011 - 07:16 Português
Poesia/Dedicado MARIA 6 1.551 10/06/2011 - 23:12 Português
Poesia/Dedicado E OS CORPOS... PORQUE SE ESCONDEM? 8 1.669 09/30/2011 - 07:41 Português
Poesia/Dedicado FIO QUE SE DESVANECE, DOENDO... 13 2.059 09/26/2011 - 07:29 Português
Poesia/Fantasia O PODER QUE O SONHO DÁ, DE SER… 6 1.199 09/22/2011 - 22:22 Português
Poesia/Dedicado NA VULNERABILIDADE DO SUPLÍCIO... 4 2.326 09/07/2011 - 02:49 Português
Poesia/Dedicado O QUE ME DIZ O VENTO, DAQUILO QUE O TEMPO TE DIRÁ … 0 1.664 09/05/2011 - 19:00 Português
Poesia/Dedicado UM DIA CHEGARÁ, EM QUE ATÉ O SONHO DESISTIRÁ… 1 1.428 08/25/2011 - 20:02 Português