CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

CHOCALHO DE SAUDADE

O silêncio é a multidão que resta
pela fria calçada encascalhada de vazio
nas ladeiras desentendidas na cascata do pensar,

é a mais rude aresta em ruinas num sorriso
que envelhece pelas esquinas
da eternidade.

É o silêncio o mais inóspito ar,
por onde indiferente o olhar voa
esquecido à toa pelo chão de outroras,

por onde sujo de tantas horas de outras vidas,
o sentir, é o frágil casco de uma canoa de solidão
cuja proa a pique cai em cruas vertigens de desilusão.

É o silêncio o mais fino
e puro fio condutor das sombras
que me alagam o sol da alma com lágrimas,

gotas de quase sangue desgarradas pelo pulsar
de andares por aí calçados de nada.

É o silêncio
o mais engrenado chocalho de saudade,
onde a verdade agita todas as lamas da morte,

ócio assente no fundo de um infinito findo
em indo que caminha sobre mais indo
até chegares que fraudam sonhos.

Está nas mãos do silêncio o afago
que afaga as entrelinhas do quotidiano
onde medonhos agoras jazem irrequietos,

sinfonia só, vento
encorpado de ásperas poeiras,

fogueiras de insanos tactos
que escurecem os tectos da noite,

que acontecem no golpe de um açoite
de acordada insónia nos serões da ansiedade,

brincadeira endurecida pelos barros do tempo,
pontapés pontapeados por derrocadas
de desespero em dor.

Pisca-pisca no silêncio lembranças
que estalam como pipocas
no caldeirão da vida.

É o silêncio a última onda
que rebenta aos pés da poesia
nas praias de imperfeitas musas,

caverna de tusas e tosses
onde os lábios gritam por amor,
onde o corpo sem eco se enruga de tristeza.
.
.
Henrique Fernandes

Submited by

domingo, janeiro 11, 2015 - 16:30

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 1 semana
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.809 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.548 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.157 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.078 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.940 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.944 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.622 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.654 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.289 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.801 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.152 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.315 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.597 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.759 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.017 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.837 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.657 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.639 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.837 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.528 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.415 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.355 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.401 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.721 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.604 01/16/2015 - 19:47 Português