CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

ESTÁTUA DE SEQUIDÃO

Quando nada diz quem sou quietude
de uma ausência dilato-me pensamento
esfomeado de cada porquê.

Encruzilhada turva.

Sozinha a voz
sussurra sentimentos atordoados
em jeito de poema ao avesso onde não existo
seduzido por intriga.

Renasço gatafunho.

Cito o silêncio
que escuto num cálice de segredos
que me preenche os lábios com o que não falo
mas sinto.

Solidão.

Elogia-me o odor
de um incenso de emoções
que arde em fumo deambulando negro
na alma.

Oco mais que oco.

Esqueço de mim na ilusão
que me trepa o olhar num momento
de eternidade encurralada nas lacunas do tempo
contorcionista nas minhas mãos de espera.

Neutralizado.

Procuro-me flor nocturna
na falésia do meu corpo que aceito incerto,
derrubando o vento que me traz sombras tontas
e me distancia das palavras anestesiadas de vazio.

Peço tão pouco.

Apenas um pouco
de infinito feito de ser rendado de luz
na culpa de um sorriso que me dê o caminho
onde brota o prazer que abafe as trevas.

Quero beber da vida a vida.

Submited by

segunda-feira, janeiro 25, 2010 - 01:06

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 15 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de jopeman

Re: ESTÁTUA DE SEQUIDÃO

um ser que se vê oco, gatafunho, neutro, só,...e que pede tão pouco, um pouco de vida

mais um bom poema teu

gostei imenso

abraço

imagem de RobertoEstevesdaFonseca

Re: ESTÁTUA DE SEQUIDÃO

Parabéns pelo belo poema.

Abraços,
REF

imagem de MarneDulinski

Re: ESTÁTUA DE SEQUIDÃO

LINDO POEMA, GOSTEI MUITO!

Peço tão pouco.

Apenas um pouco
de infinito feito de ser rendado de luz
na culpa de um sorriso que me dê o caminho
onde brota o prazer que abafe as trevas.

Quero beber da vida a vida.

Meus parabéns,
Marne

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos DA POESIA 1 5.746 05/26/2020 - 23:50 Português
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.591 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.791 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.468 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.319 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.151 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.134 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.951 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.813 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.975 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.526 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.505 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.791 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 3.158 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.451 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.998 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.999 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 2.013 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 3.147 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.654 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.624 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.565 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.567 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.852 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.841 01/16/2015 - 20:47 Português