CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

SEPULTO O TÉDIO

Piso o meu rosto
com as notas desafinadas
de um piano feito de mel,
que apenas os meus sentidos
mudos se atrevem a escutar o cheiro,
deste sobe e desce no poço das certezas.

Limo as versões
amargas dos meus lábios
com a geleia dos meus instintos,
fazendo-me rodopiar num vórtice
que estoqueia a minha mente martelada
por barulhos sem punho para levantar a moral
de um exército derrotado no suor dos meus pés.

Exibo-me
numa montra
do que não sou paralelo
aos sítios onde não quero chegar,
desmistificando a libertação dos sentidos
sobre um altar de carne onde vagueia a minha alma.

Faço-me castigos
substituindo as nuvens
que escondem a estrela da sorte,
ao largo silvestre das minhas palmas,
por raios de sol assentes em solas de orelhas moucas,
influenciando frases embirrantes que julgam me calar.

Sepulto o tédio
numa janela de açúcar,
derretido pelo fascínio dos meus assédios,
servindo-me um manual de instruções de gestos
que apontam para as cordas de um sino sem badale,
ao cimo de uma torre construída de vidro inquebrável.

Sou diálogo
noctívago das corujas
agoirentas como quem arranca
um dente a sangue frio num salto de mentiras,
que me assaltam por cima das farpas da solidão acidentada.

Talvez ficarei sozinho,
sem mim para não mais me deixar
sem pressa de me restaurar tardiamente
nos carris em brasa que guiam a minha carruagem
de promessas virtuosas numa avenida de peripécias,
que são fortuna no cultivar sementes pelas minhas personalidades.

Submited by

domingo, março 29, 2009 - 12:02

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 6 dias
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.786 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.541 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.155 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.076 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.938 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.940 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.619 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.651 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.279 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.800 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.148 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.313 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.595 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.752 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.014 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.833 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.653 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.636 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.833 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.524 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.412 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.353 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.399 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.719 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.600 01/16/2015 - 19:47 Português