A SAUDADE DÓI




A saudade dói

 

 

A saudade que dói mais fundo é irremediavelmente,

A própria saudade que temos da gente,

De princípio longínquo que já tivemos,

Do que já fomos e perdemos e agora já não temos.

 

 

O passado não reconhece o seu lugar está sempre presente,

Nas nossas recordações tardias nunca está ausente,

Todos os dias se manifesta e nós não nos apercebemos,

Pois ele está em todas as pequenas coisas que vivemos.

 

 

Quando nos lembramos dele mais frequentemente,

É quando queremos fazer e não podemos, é deprimente,

Lembramo-nos até onde podíamos ir e agora já não vamos,

E temos a consciência que o nosso futuro encurtamos.

 

 

As saudades começam a nascer e doem suavemente,

À medida que a nossa vida vai andando para a frente,

Para cortar a meta que o tempo nos traçou,

E quando esta certeza nos acontece, tudo acabou.

 

 

Das nossas próprias saudades só nós é que sabemos do porquê,

É como a dor que nos ataca, só nós sentimos e ninguém vê,

É silenciosa e vai corroendo lentamente o nosso coração,

E às vezes até choramos porque não lhe podemos dizer não.

 

 

A idade da razão eu não sei quantos anos ela tem,

E também não sei quando ela nasce e donde vem,

Só sei que o passado tem razão mas já o perdi,

Tenho saudades do que devia ter feito e não consegui.

 

 

É por esta razão que a vida pode deixar saudade,

O que deixamos para trás já não vem, chegou a idade,

Talvez seja a única razão que a razão conhece,

Quando só nos resta a saudade e o tempo ido já não acontece.

 

 

 

 

Tavira, 23 de Março de 2011 - Estêvão

Submited by

Saturday, June 15, 2013 - 09:49

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

José Custódio Estêvão's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 4 weeks 5 days ago
Joined: 03/14/2012
Posts:
Points: 7749

Add comment

Login to post comments

other contents of José Custódio Estêvão

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/Meditation Pensamento 0 443 12/20/2019 - 17:18 Portuguese
Poesia/Meditation Pensamento 0 310 12/20/2019 - 17:13 Portuguese
Poesia/Love Três coisas 2 401 12/12/2019 - 18:00 Portuguese
Poesia/General AS ONDS DO MAR 5 2.615 12/09/2019 - 13:23 Portuguese
Poesia/Fantasy O MEU NOME 0 1.045 12/14/2018 - 11:36 Portuguese
Poesia/Meditation O TEMPO LEVA TUDO 0 1.320 09/28/2018 - 15:56 Portuguese
Prosas/Thoughts 34- O HOMEM 6 1.891 03/21/2018 - 16:04 Portuguese
Poesia/Love VERMELHO 0 1.516 09/04/2017 - 10:13 Portuguese
Poesia/Love UMA ORQUÍDEA PARA TI 0 2.102 07/17/2017 - 10:50 Portuguese
Poesia/Meditation AS PEDRAS DOS RIOS 0 2.488 06/07/2017 - 09:54 Portuguese
Prosas/Thoughts PENSAMENTOS 34 0 1.956 05/24/2017 - 11:09 Portuguese
Poesia/Love AMO-TE COMO ÉS 0 1.872 05/24/2017 - 10:59 Portuguese
Poesia/Meditation SABER SER FRELIZ 0 1.160 05/09/2017 - 16:51 Portuguese
Poesia/Friendship TU 0 1.422 04/21/2017 - 11:52 Portuguese
Poesia/Meditation PARA DE TE QUEIXAR 2 1.276 03/26/2017 - 20:34 Portuguese
Poesia/Meditation PARA QUÊ MATAR? 5 2.561 03/24/2017 - 12:31 Portuguese
Poesia/Meditation CHEGAR, VER E VENCER 0 1.910 03/13/2017 - 15:57 Portuguese
Poesia/Love BEIJOS TEUS 0 1.582 02/22/2017 - 11:12 Portuguese
Poesia/Love OLHANDO O MAR 0 1.069 02/08/2017 - 11:26 Portuguese
Poesia/Love SAUDADE 0 1.693 02/01/2017 - 11:29 Portuguese
Poesia/General FRIO 0 1.185 01/26/2017 - 11:27 Portuguese
Poesia/General FRIO 0 1.355 01/26/2017 - 11:23 Portuguese
Poesia/Fantasy AS ONDAS DO MAR 0 1.190 01/11/2017 - 10:49 Portuguese
Poesia/Meditation AMANHECEU OUTRA VEZ 0 1.452 01/04/2017 - 12:22 Portuguese
Poesia/Joy RIR 0 2.343 12/21/2016 - 10:58 Portuguese