CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Jean Baptiste Grenouille

Não a vi, só senti seu rastro de perfume jogado no ar
Fazendo minhas narinas seguir-lhe até o fim do mundo,
Por isso estou aqui, inerte ao seu lado, não por amar
E sim pelo seu perfume tão suave, divino e profundo.

Se existe amor, meu amor é sua poderosa fragrância
Que suga do ar, água, terra e fogo a seiva elementar,
Que rouba das flores e das plantas toda a essência
Para que de sua pele o pecado pudesse se exalar.

Não tenho cheiro, no entanto, não existo, não existo,
Foi o dom que Deus me deu em seu solene desígnio.
Assim sou Jean Baptiste Grenouille, somente isto.

Submited by

quarta-feira, dezembro 16, 2009 - 23:49

Ministério da Poesia :

No votes yet

FranciscoEspurio

imagem de FranciscoEspurio
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 anos 45 semanas
Membro desde: 11/08/2009
Conteúdos:
Pontos: 450

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of FranciscoEspurio

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - 2085 0 1.371 11/24/2010 - 00:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Tentativas inúteis na sacada 0 1.337 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Odisséia 0 1.382 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado No caminho das pedras brilhantes (São Thomé das Letras) 0 2.019 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O viço dos seios 0 1.601 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção A pele iraquiana 0 1.516 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O revés 0 1.305 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O guardião 0 1.260 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O Demônio Interior 0 1.068 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Morte ao amanhecer 0 1.353 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Death to be born wise 0 1.327 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado O texto de um pai 0 1.841 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Fantasia Ninfas 0 1.561 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Atado ao Umbigo 0 1.255 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Pentáculo 0 1.358 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Jean Baptiste Grenouille 0 1.630 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O estocástico 0 1.090 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Sido Ser 0 1.127 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Grão latente 0 2.140 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O salto das horas 0 1.460 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Segure minhas mãos 0 1.307 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Decepção da obra e do poder 0 1.220 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O ensejo da soma 0 1.255 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Perdição 0 1.257 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Figura de madeira disforme que orna a proa de minha embarcação (Carrancas) 0 1.135 11/19/2010 - 19:10 Português