CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Pentáculo

O inefável apresentou-se na forma de minha imagem,
No altar de minha testa sobre sobrolhos medrosos.
Arranque-me os dedos e a boca desta colagem
Fadigada de minha raça cansada e cheia de remorsos.

O que vejo são vultos de culpas e medos gravitando
No perímetro do meu decadente corpo sonâmbulo.
Sou minha Cura, minha Harmonia fortalecendo
O meu braço de Virtude, sendo eu, um Pentáculo.

Cabeça, dois braços, duas pernas em Energia Cósmica.
Anjos, arcanjos, querubins, potestades do meu “eu” tudo
Cabeça, dois braços, duas pernas da figura simbólica
Solene amalgamada na crença que estou ferido. Contudo!
Está em mim, minha própria defesa psíquica
Descobrindo minha doença aplicando-me o antídoto.

Deixo de acreditar no símbolo para acreditar em mim mesmo
Oro a minha meditação na capela do meu cérebro
Da “ressonante” ressonância da Lei do meu ermo.
Dum lado sou meu exército do bem do outro sou meu exército macabro.

O que era magia hoje é a prostituta ciência.
O que era religião hoje é feto do fato científico.
Magia, ciência, religião resumem-se em ato promíscuo.
Eu sou o “eu” buscando o nada e o tudo em minha magnificência.

Submited by

quarta-feira, dezembro 16, 2009 - 22:47

Ministério da Poesia :

No votes yet

FranciscoEspurio

imagem de FranciscoEspurio
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 anos 9 semanas
Membro desde: 11/08/2009
Conteúdos:
Pontos: 450

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of FranciscoEspurio

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - 2085 0 1.273 11/23/2010 - 23:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Tentativas inúteis na sacada 0 836 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Odisséia 0 986 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado No caminho das pedras brilhantes (São Thomé das Letras) 0 1.784 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O viço dos seios 0 1.090 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção A pele iraquiana 0 1.098 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O revés 0 875 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O guardião 0 860 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O Demônio Interior 0 875 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Morte ao amanhecer 0 794 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Death to be born wise 0 902 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado O texto de um pai 0 1.442 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Fantasia Ninfas 0 1.121 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Atado ao Umbigo 0 825 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Pentáculo 0 998 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Jean Baptiste Grenouille 0 1.431 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O estocástico 0 644 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Sido Ser 0 827 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Grão latente 0 1.875 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O salto das horas 0 1.023 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Segure minhas mãos 0 1.029 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Decepção da obra e do poder 0 980 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O ensejo da soma 0 1.109 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Perdição 0 797 11/19/2010 - 18:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Figura de madeira disforme que orna a proa de minha embarcação (Carrancas) 0 750 11/19/2010 - 18:10 Português