CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A SAUDADE DÓI




A saudade dói

 

 

A saudade que dói mais fundo é irremediavelmente,

A própria saudade que temos da gente,

De princípio longínquo que já tivemos,

Do que já fomos e perdemos e agora já não temos.

 

 

O passado não reconhece o seu lugar está sempre presente,

Nas nossas recordações tardias nunca está ausente,

Todos os dias se manifesta e nós não nos apercebemos,

Pois ele está em todas as pequenas coisas que vivemos.

 

 

Quando nos lembramos dele mais frequentemente,

É quando queremos fazer e não podemos, é deprimente,

Lembramo-nos até onde podíamos ir e agora já não vamos,

E temos a consciência que o nosso futuro encurtamos.

 

 

As saudades começam a nascer e doem suavemente,

À medida que a nossa vida vai andando para a frente,

Para cortar a meta que o tempo nos traçou,

E quando esta certeza nos acontece, tudo acabou.

 

 

Das nossas próprias saudades só nós é que sabemos do porquê,

É como a dor que nos ataca, só nós sentimos e ninguém vê,

É silenciosa e vai corroendo lentamente o nosso coração,

E às vezes até choramos porque não lhe podemos dizer não.

 

 

A idade da razão eu não sei quantos anos ela tem,

E também não sei quando ela nasce e donde vem,

Só sei que o passado tem razão mas já o perdi,

Tenho saudades do que devia ter feito e não consegui.

 

 

É por esta razão que a vida pode deixar saudade,

O que deixamos para trás já não vem, chegou a idade,

Talvez seja a única razão que a razão conhece,

Quando só nos resta a saudade e o tempo ido já não acontece.

 

 

 

 

Tavira, 23 de Março de 2011 - Estêvão

Submited by

sábado, junho 15, 2013 - 09:49

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 16 semanas 1 dia
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7732

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Críticas/Outros O MEU EU E O OUTRO 0 2.063 11/25/2015 - 11:38 Português
Poesia/Amor FALTA DE AMOR 0 559 11/18/2015 - 12:36 Português
Poesia/Meditação DE PASSO APÓS PASSO 0 376 11/11/2015 - 11:28 Português
Poesia/Amor SENTE-SE E NÃO SE VÊ. 0 366 11/09/2015 - 12:17 Português
Poesia/Meditação PRINCÍPIO E FIM 0 745 10/22/2015 - 10:17 Português
Poesia/Meditação VIVENDO 0 928 10/14/2015 - 10:47 Português
Poesia/Meditação O SEGURO E APRUDÊNCIA 0 414 10/07/2015 - 10:59 Português
Poesia/Amor O AMOR É CEGO 0 573 09/30/2015 - 10:04 Português
Poesia/Amor AI O SABONETE 0 566 09/24/2015 - 09:50 Português
Poesia/Meditação LÁGRIMAS 0 432 09/16/2015 - 17:21 Português
Poesia/Meditação A RODA DO TEMPO 0 641 09/09/2015 - 15:59 Português
Poesia/Amor OS TEUS ABRAÇOS 0 441 09/02/2015 - 10:46 Português
Poesia/Meditação A REFORMA 0 535 08/19/2015 - 09:59 Português
Poesia/Meditação A MINHA CAMA 0 654 08/12/2015 - 09:53 Português
Poesia/Intervenção SONETO À CRISE 0 471 08/05/2015 - 09:52 Português
Poesia/Meditação SER SONHADOR SEM SER 0 937 07/29/2015 - 09:52 Português
Poesia/Meditação A CONSCIÊNCIA 0 896 07/22/2015 - 10:28 Português
Poesia/Amor DO LONGE SE FAZ PERTO 0 685 07/15/2015 - 09:48 Português
Poesia/Meditação A FELICIDADE TAMBÉM SE MULTIPLICA 0 1.380 07/08/2015 - 09:41 Português
Poesia/Meditação SOU E SEREI 0 391 07/01/2015 - 10:28 Português
Poesia/Fantasia ERA UMA VEZ 0 361 06/25/2015 - 09:28 Português
Poesia/Meditação AI SE EU SOUBESSE 0 781 06/17/2015 - 11:01 Português
Poesia/Meditação FALAR É FÁCIL 0 361 06/11/2015 - 09:59 Português
Poesia/Meditação INDIGNAÇÃO 0 331 06/03/2015 - 10:03 Português
Poesia/Meditação O TEU REBANHO 0 592 05/27/2015 - 17:12 Português