EU...

Sou furacão
sucumbido ao desejo.

Cresço
no coma dos sonhos
que se alastram incuráveis
no controverso das palavras,
encontradas no meu acontecer.

A cobiça
brilha-me no olhar
sedado por vida cheia.

Sou eterno
cúmplice do vazio amolecido
pela overdose das madrugadas,
que me empurram com gritos ocos
de querer mais no delinear do destino.

Sou pedra
catapultada num entra e sai,
desmentido na cronologia do disparate.

Sou fado biografado
no ecrã do arrependimento,
que descrevo nas entrelinhas
de páginas tortas de frustração.

Relato
com ofensa
o que não tenho,
chamando-lhe aconchego vilão.

Sorrio justo
ao que me pertence.

Foco
o coração aberto
em choro de alegria,
decifrando os enigmas
de quem sou sem que aceite
ou recuse quem fui por quem serei.

Submited by

Friday, May 15, 2009 - 13:03

Poesia :

No votes yet

Henrique

Henrique's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 5 years 13 weeks ago
Joined: 03/07/2008
Posts:
Points: 34817

Comments

mariamateus's picture

Re: EU...

Sorrio justo
ao que me pertence.

muito lindo,gostei!!
Sorris ao q te pertence. Mto bem
agora,como quase nada é nosso,
faz um favor a ti mesma e pôe PATENTE REGISTRADO!!
E esta?hem

Beijinho carinhoso :pint: :hammer:

marialds's picture

Re: EU...

És "o furacão com o coração aberto em choro de alegria". Muito bonito, lindo mesmo, mostra que és um homem menino, nunca deixa morrer a criança que hoje vive em ti.

jopeman's picture

Re: EU...

Toda a nossa vida se desenrola na descoberta do maior dos enigmas...nós próprios. E assim se cresce
Grande reflexão
Abraço

Danielagomes's picture

Re: EU...

"decifrando os enigmas
de quem sou sem que aceite
ou recuse quem fui por quem serei"

muito bonito e complexo,
gostei muito! :-)
bjo!

Add comment

Login to post comments

other contents of Henrique

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Videos/Others Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.528 06/11/2019 - 09:39 Portuguese
Poesia/Sadness TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.771 03/06/2018 - 21:51 Portuguese
Poesia/Thoughts ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.455 02/28/2018 - 17:42 Portuguese
Poesia/Thoughts APALPOS INTERMITENTES 0 2.288 02/10/2015 - 22:50 Portuguese
Poesia/Aphorism AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.139 02/03/2015 - 20:08 Portuguese
Poesia/Thoughts ISENTO DE AMAR 0 4.117 02/02/2015 - 21:08 Portuguese
Poesia/Love LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.937 02/01/2015 - 22:51 Portuguese
Poesia/Thoughts PELO TEMPO 0 1.798 01/31/2015 - 21:34 Portuguese
Poesia/Thoughts DA POESIA 0 5.724 01/30/2015 - 23:06 Portuguese
Poesia/Thoughts DO AMOR 0 1.951 01/30/2015 - 21:48 Portuguese
Poesia/Thoughts DO SENTIMENTO 0 2.509 01/29/2015 - 22:55 Portuguese
Poesia/Thoughts DO PENSAMENTO 0 2.493 01/29/2015 - 19:53 Portuguese
Poesia/Thoughts DO SONHO 0 1.785 01/29/2015 - 01:04 Portuguese
Poesia/Thoughts DO SILÊNCIO 0 3.128 01/29/2015 - 00:36 Portuguese
Poesia/Thoughts DA CALMA 0 2.435 01/28/2015 - 21:27 Portuguese
Poesia/Thoughts REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.976 01/27/2015 - 22:48 Portuguese
Poesia/Thoughts MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.985 01/27/2015 - 16:59 Portuguese
Poesia/Aphorism NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.998 01/26/2015 - 20:44 Portuguese
Poesia/Thoughts SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 3.139 01/25/2015 - 22:36 Portuguese
Poesia/Thoughts MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.646 01/22/2015 - 22:32 Portuguese
Poesia/Thoughts ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.614 01/21/2015 - 18:00 Portuguese
Poesia/Thoughts PALAVRAS À LUPA 0 2.541 01/20/2015 - 19:38 Portuguese
Poesia/Thoughts MADRESSILVA 0 1.561 01/19/2015 - 21:07 Portuguese
Poesia/Thoughts NA SOLIDÃO 0 1.840 01/17/2015 - 23:32 Portuguese
Poesia/Thoughts LÁPIS DE SER 0 1.832 01/16/2015 - 20:47 Portuguese