ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO

Quero estar longe,

onde a mão de nenhum sentir me alcance,

tão longe que nenhum olhar me veja,

quero estar longe,

onde a solidão seja tudo à minha volta,
onde a saudade me procure
e não me encontre,

tão longe que nenhuma voz ouça,

onde nenhuma luz invada a escuridão
onde feliz me escondo,

quero estar longe,

onde nenhum tempo por mim passe,

tão longe

que ninguém despinte quem sou,

onde nenhuma palavra consiga descrever
quão distante quero estar,

e quero estar longe,

onde nenhuma morte mate
a poesia que o meu viver trova,

mesmo tão longe que nem amor exista,

muito muito longe,

onde o infinito seja o princípio de tão longe

que quero estar.
.
.
Henrique Fernandes

Submited by

Thursday, February 19, 2015 - 21:44

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Henrique

Henrique's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 5 years 14 weeks ago
Joined: 03/07/2008
Posts:
Points: 34817

Comments

Joel's picture

o principio

é o fim e vice versa e a poesia uma porta aberta na escura ilusão da noite

Deby's picture

Lindo!!!

Lindo!!!

Pherston's picture

Forte

Já não vinha há muito, vi este seu poema, tem sentimento forte.
Abraço, tudo de bom

deborabenvenuti's picture

Onde o infinito seja o princípio

Parece até uma despedida poética,amigo Henrique. Mas não te quero tão longe onde nem a poesia possa te encontrar.
Não vinha aqui há um bom tempo e hoje encontrei um comentário teu,bem antigo, o qual agradeço. Tenho Postado mais no ARTELOGY e lá não te encontrei. Abraços

Add comment

Login to post comments

other contents of Henrique

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/Thoughts DA POESIA 1 5.737 05/26/2020 - 23:50 Portuguese
Videos/Others Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.582 06/11/2019 - 09:39 Portuguese
Poesia/Sadness TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.784 03/06/2018 - 21:51 Portuguese
Poesia/Thoughts ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.461 02/28/2018 - 17:42 Portuguese
Poesia/Thoughts APALPOS INTERMITENTES 0 2.292 02/10/2015 - 22:50 Portuguese
Poesia/Aphorism AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.145 02/03/2015 - 20:08 Portuguese
Poesia/Thoughts ISENTO DE AMAR 0 4.123 02/02/2015 - 21:08 Portuguese
Poesia/Love LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.943 02/01/2015 - 22:51 Portuguese
Poesia/Thoughts PELO TEMPO 0 1.803 01/31/2015 - 21:34 Portuguese
Poesia/Thoughts DO AMOR 0 1.957 01/30/2015 - 21:48 Portuguese
Poesia/Thoughts DO SENTIMENTO 0 2.518 01/29/2015 - 22:55 Portuguese
Poesia/Thoughts DO PENSAMENTO 0 2.501 01/29/2015 - 19:53 Portuguese
Poesia/Thoughts DO SONHO 0 1.787 01/29/2015 - 01:04 Portuguese
Poesia/Thoughts DO SILÊNCIO 0 3.149 01/29/2015 - 00:36 Portuguese
Poesia/Thoughts DA CALMA 0 2.439 01/28/2015 - 21:27 Portuguese
Poesia/Thoughts REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.983 01/27/2015 - 22:48 Portuguese
Poesia/Thoughts MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.993 01/27/2015 - 16:59 Portuguese
Poesia/Aphorism NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 2.004 01/26/2015 - 20:44 Portuguese
Poesia/Thoughts SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 3.142 01/25/2015 - 22:36 Portuguese
Poesia/Thoughts MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.651 01/22/2015 - 22:32 Portuguese
Poesia/Thoughts ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.620 01/21/2015 - 18:00 Portuguese
Poesia/Thoughts PALAVRAS À LUPA 0 2.549 01/20/2015 - 19:38 Portuguese
Poesia/Thoughts MADRESSILVA 0 1.564 01/19/2015 - 21:07 Portuguese
Poesia/Thoughts NA SOLIDÃO 0 1.845 01/17/2015 - 23:32 Portuguese
Poesia/Thoughts LÁPIS DE SER 0 1.836 01/16/2015 - 20:47 Portuguese