Uma Vontade

Longe vão os dias em que brincávamos como crianças (em nós apenas duraram três ciclos lunares).
A fragilidade do que construímos resistiu apenas por Uma vontade. Agora os pés estão doridos e tem feridas abertas pelos cacos que pisa.
Uma Vontade está frágil, a outra, sua parceira, é instável, como sempre.
A relatividade do Ser e da Acção torna amargo todo e qualquer esforço. O que Uma Vontade aguentou em duas décadas, a outra não aguenta dois dias. Nunca aguentou.
Ainda assim, Uma Vontade deixou-se ficar, procurou nos sonhos a bolha de ar de que precisava para acordar e prosseguir na realidade estranguladora. Respiraria quando adormecesse, entretanto, a vida era um enorme suspender do ar. Resistência.
Uma Vontade serviu como era preciso, montou o cenário, criou a história e encantava a serpente.
A serpente que se mantinha enrolada no seu corpo. A serpente que lhe enchia as gavetas de adereços e enfeites para que Uma Vontade criasse nova histórias. Novas histórias que nunca chegavam ao fim. Uma Vontade sabia contar histórias e o apetite da serpente aumentava ferozmente. A história era interrompida abruptamente, o tecido caía rasgado... Horas depois, o corpo de Uma Vontade caía encharcado pelos fluidos de uma serpente cega no seu próprio desejo.
Uma Vontade corrompeu-se e hoje não se reconhece quando se olha ao espelho e nem quando ouve os seus pensamentos.
A serpente força-a, mas a boca não se abre, apenas o corpo. Uma Vontade está vazia, não tem histórias para contar!
O Presente e o Futuro são tomados pela incerteza. Uma Vontade está recolhida num movimento de destruição. Leva à boca o líquido que a envia para um sono profundo, sem sonhos, sem bolha de ar.
Cada dia que passa aumenta a dose necessária. Procura alívio na dormência. Abafa qualquer história que ainda saiba. A serpente não pode saber que Uma Vontade ainda tem histórias para contar.
Uma Vontade dá o passo em frente e mergulha no infinito.
A serpente não gosta e se não gosta irá finalmente embora. O que Uma Vontade aguentou em duas décadas, a outra não aguenta dois dias. Nunca aguentou.

Acordo com dor e na memória um pesadelo recorrente.
Sei o que temo e sei o que tenho de mudar.
Saber apenas torna o dia-a-dia mais penoso. 

Submited by

Viernes, Marzo 18, 2011 - 14:57

Prosas :

Sin votos aún

Ema Moura

Imagen de Ema Moura
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 43 semanas 3 días
Integró: 03/15/2011
Posts:
Points: 317

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Ema Moura

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Ministério da Poesia/Amor Nada mais (nona carta) 0 550 09/22/2014 - 18:54 Portuguese
Prosas/Contos «Pele...» 0 510 09/22/2014 - 18:52 Portuguese
Prosas/Erótico Proposta 0 606 09/22/2014 - 18:50 Portuguese
Poesia/Pensamientos Confissões de um conquistador 0 619 09/22/2014 - 18:47 Portuguese
Poesia/Pensamientos Pintura introspectiva 0 784 09/20/2014 - 11:19 Portuguese
Poesia/Pensamientos Silencia o teu amor 0 552 09/20/2014 - 11:17 Portuguese
Prosas/Pensamientos Monólogo da memória 0 512 09/20/2014 - 11:15 Portuguese
Poesia/Pasión Obsessão 0 634 09/20/2014 - 11:10 Portuguese
Poesia/Erótico Tortura, anseio... 1 743 01/27/2013 - 22:47 Portuguese
Prosas/Contos Inspira, relaxa e divaga... Suspira! 2 663 01/27/2013 - 17:40 Portuguese
Prosas/Erótico Outra vez! 2 1.208 01/27/2013 - 17:36 Portuguese
Poesia/Pasión Quero-te outra vez... 0 519 01/27/2013 - 17:08 Portuguese
Poesia/Amor Ouve-me 1 654 01/27/2013 - 16:50 Portuguese
Poesia/Erótico Amarro-te! 3 964 01/27/2013 - 16:45 Portuguese
Poesia/Meditación Ofélia 0 634 01/12/2013 - 23:34 Portuguese
Prosas/Contos Brilho 0 721 01/12/2013 - 23:20 Portuguese
Prosas/Contos Esculpidos na pedra 0 514 01/12/2013 - 23:15 Portuguese
Poesia/Amor Espero 0 697 01/12/2013 - 23:10 Portuguese
Prosas/Romance Hoje, o céu é meu... 0 935 08/11/2011 - 14:09 Portuguese
Poesia/Meditación Saudade poética 2 819 07/09/2011 - 02:59 Portuguese
Prosas/Erótico O desejo é muito mais que um brilho no olhar... 0 905 07/07/2011 - 23:17 Portuguese
Prosas/Erótico Tortura 0 748 07/07/2011 - 23:13 Portuguese
Prosas/Pensamientos Hoje 0 863 07/07/2011 - 23:06 Portuguese
Prosas/Erótico «Surpresa. Hoje é dia de pagamento!» 0 865 07/07/2011 - 22:59 Portuguese
Prosas/Erótico Saltos inquietos 0 845 07/07/2011 - 22:56 Portuguese