CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Lascívia

Fluidos...
Tudo se desmancha em fluidos
Corpos melados, escorridos de gozo, suor e saliva derretem
Corpos cansados, fadigados da busca obstinada e excessiva
Pelo prazer, ofegantes e insatisfeitos esperamos ansiosamente
Pelo descanso, a volta das forcas para de novo e exaustivamente
Exercitarmos o êxtase pelo contado direto e franco da pele com a pele
O êxtase...Essa jóia sobrenatural e comum, esse tesouro encantado
Exposto e autocensurado pra quem quer possuí-lo
Temido pelo desejo feroz enjaulado.

Inevitavelmente descobre-se a inutilidade da filosofia e da ciência
Náo existe moral, nem culpa, nem pudor, nem inocência
Não existe razão que detenha a vontade igual
Através de um ritual apoteótico repitimos a mesma experiência
Na tentativa impulsiva e incontrolável de fundir dois ou mais corpos
Constringindo a carne, reincindimos no mesmo erro inúmeras vezes
No desespero impoderável de ocupar um mesmo lugar no espaço
Boca com boca, coxa entre coxa, peito com peito somente não satisfaz
- MAIS!! Implora o instinto selvagem e voraz
Subconsiente da necessidade vital e orgânica
Boca entre coxas, coxas com peito, peitos na boca...
- MAIS!! Língua pra fora, vagina molhada, pénis duro, dedos ágeis, mãos impetuosas...

Mais e mais ininterruptamente porque o prazer nunca é suficiente...
E assim, intercalado e sempre misturando as habilidades inconseqüentes
Com a arte de contorcionistas, enrolamos-nos na cama onde quer ela esteja montada
Fazemos de tudo um circo, montados um no outro com uma delicadeza cavala
Entre os suspiros dos ápices conseguidos, variados rítmos, pressas e preces
Diferentes posturas, a avidez insaciável de provar cada polegada da pele nua
Queremos degustar a sal da textura com germes, bactérias e casca
Que compõem o genuíno tempêro da carne crua
O gosto da existência, do natural, do ser humano

Fazemos ruínas a nossa volta
Derrubamos conceitos e preconceitos, nada sobra
Nada mais que preste, porque nada mais importa
Sem justificativas, deixamos tudo pra traz
Nos excedemos, nos esbaldamos, nos proscrevemos
Em fluidos espalhados, derramados e gosmentos
Sucumbidos em nome do êxtase infindo
Em prol do fim da insatisfaçao
Por um breve e revigorante momento
Não há hipócrita que negue tal felicidade fugaz...
A lascívia é o sentido da vida

Outros poemas também encontrados juntamente no meu blog

http://carlinhoscavalcanti.blogspot.com/

Obrigado à todos

;-)

Submited by

quarta-feira, março 31, 2010 - 19:12

Poesia :

No votes yet

carlfilho

imagem de carlfilho
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 anos 41 semanas
Membro desde: 05/25/2009
Conteúdos:
Pontos: 519

Comentários

imagem de Henrique

Re: Lascívia

Bom poema!!!

Mas talvez devesse estar classificado para M/18...

:-)

imagem de carlfilho

Re: Lascívia

Olá Henrique,

Correção anotada! Não tinha reparado nesta opção.

Obrigado mais uma vez pelo seu parecer.

Valeu

;-)

imagem de Susan

Re: Lascívia

Esse poema é de tirar o fôlego!!!
é um poderosos estimulante , com ele quem precisa de viagra?
Abraços
Susan

imagem de carlfilho

Re: Lascívia

HEHE..
Valeu Susan.. Foi preciso fôlego pra escrever mesmo..

bjo

;-)

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of carlfilho

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Desilusão Anticorpo 0 489 09/18/2014 - 19:09 Português
Poesia/Geral Deixa 0 527 01/30/2014 - 21:10 Português
Poesia/Tristeza A Morte do Meu Sorriso 0 582 09/12/2013 - 21:13 Português
Poesia/Geral O Número 1 323 03/15/2013 - 18:48 Português
Poesia/Geral Os animais 3 645 03/15/2013 - 18:39 Português
Poesia/Geral Parceria Eterna 2 1.089 11/27/2012 - 18:54 Português
Poesia/Geral Boa Noite 4 965 11/27/2012 - 17:56 Português
Poesia/Tristeza Caixeiro Viajante 1 712 11/26/2012 - 21:41 Português
Poesia/Tristeza Coração Notívago 2 875 11/26/2012 - 21:26 Português
Poesia/Geral Pulvi es (et pulverem reverteris) 2 1.218 11/23/2012 - 23:29 Português
Poesia/Geral A Idéia Assombra 1 827 11/23/2012 - 16:57 Português
Poesia/Fantasia O Misantropo 3 1.142 11/23/2012 - 16:45 Português
Poesia/Geral Isto Posto 4 584 11/21/2012 - 20:23 Português
Poesia/Paixão Desarme 1 433 11/21/2012 - 19:39 Português
Poesia/Geral Estranho Decorrer 1 575 11/20/2012 - 23:08 Português
Poesia/Amor Meu Amor Imaginário 1 543 04/20/2012 - 19:22 Português
Poesia/Soneto Soneto do Rei Álacre 0 607 01/11/2012 - 17:20 Português
Poesia/Meditação Faz toda a diferença 0 517 01/10/2012 - 16:00 Português
Poesia/Meditação Gosto Daqui... 1 495 12/16/2011 - 03:13 Português
Poesia/Amizade Adenium 0 594 12/15/2011 - 14:36 Português
Poesia/Fantasia O Tédio 0 544 12/09/2011 - 14:33 Português
Poesia/Fantasia Devida Verve 0 542 12/07/2011 - 14:16 Português
Poesia/Tristeza Asfalto 1 799 11/28/2011 - 20:47 Português
Poesia/Tristeza Punhais 0 536 11/28/2011 - 17:57 Português
Poesia/Fantasia Idas 0 862 11/08/2011 - 21:55 Português