CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Continuo sentado à varanda

Choro porque acabei de saber de como se
Morria sentado à varanda, enquanto um
Silêncio corre pelos rubros telhados fora e
Me devolve um abraço do tamanho do medo.

E se alguém no entanto me ligar é porque pensa
Que ainda existo junto ao telefone, onde um dia,
Sendo eu, aprendi que não sabia dizer quem era
Ou onde tinha me esquecido de guardar o nome.

Quem me dera saber de cor cada canto da casa e
Percorrê-la ao contrário, adormecer com vontade
Junto à porta e acordar com as duas distintas buzinas
E com o corpo fresco pendurado num saco à neblina.

Mas continuo sentado à varanda mesmo sabendo
Que apenas existo na minha saudade, que de tempos
A tempos reconheço no vago aroma de uma cevada
E numa foto que guardo no bolso das calças e de onde
Lamento ter saído.

Submited by

domingo, março 14, 2010 - 20:59

Poesia :

No votes yet

jopeman

imagem de jopeman
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 11 semanas
Membro desde: 01/04/2009
Conteúdos:
Pontos: 3172

Comentários

imagem de mariamateus

Re: Continuo sentado à varanda

João :-)

E se alguém no entanto me ligar é porque pensa
Que ainda existo junto ao telefone, onde um dia,
Sendo eu, aprendi que não sabia dizer quem era
Ou onde tinha me esquecido de guardar o nome.

AMO, LER OS TEUS POEMAS
AMO A LEVEZA DA TUA ALMA!!!

JAMAIS, DEIXAREI DE TE LER!!!

GRANDE, ABRAÇO DA AMIGA!

mm

imagem de ÔNIX

Re: Continuo sentado à varanda

Choro porque acabei de saber de como se
Morria sentado à varanda, enquanto um
Silêncio corre pelos rubros telhados fora e
Me devolve um abraço do tamanho do medo.

Olá João
Todo o poema, é esplêndido. Em todos os momentos descritos há muito a reter, como se quisesses num só momento entrar e sair, e voltar a ser tudo o que foste e o que não pudeste ser, num dado momento

Gostei muito

Beijo

Matilde D'Ônix

imagem de Henrique

Re: Continuo sentado à varanda

Me devolve um abraço do tamanho do medo.

Grandes versos!!!

Uma espera que nos mata!!!!

:-)

imagem de IsabelPinto

Re: Continuo sentado à varanda

Olá João,
Senti saudades tuas!
por vezes temos de nos perder para depois nos encontrar com forças redobradas, um sorriso nos lábios, e o poder de escrever como tu...palavras sentidas q expressão momento difíceis de ultrapassar mas, ultrapassáveis só temos de acreditar q conseguimos:)

Beijinhos
I

imagem de Anonymous

Re: Continuo sentado à varanda

A tua escrita tem sempre uma particularidade estranha,
emociona-me.
Quantas vezes ressuscitamos para morrer de novo?
Um poema tocante com a marca indelével da tua
sensibilidade.
Beijo
Vóny Ferreira

imagem de analyra

Re: Continuo sentado à varanda

"Que apenas existo na minha saudade, que de tempos
A tempos reconheço no vago aroma de uma cevada
E numa foto que guardo no bolso das calças e de onde
Lamento ter saído."

Adorei, adoro a tua originalidade e estética na escrita.
És fantástico.
Grande abraço.
Adoro ler-te.

imagem de Hisalena

Re: Continuo sentado à varanda

A CERTA ALTURA TODOS NOS PERDEMOS DE NÓS...ESQUECEMO-NOS DE QUEM SOMOS...PERDEMO-NOS NUMA VIDA QUE NÃO FOI A QUE SONHÁMOS. E TODOS NÓS UM DIA PARAMOS Á ESPERA DE SABER ONDE ESTÁ ESSE EU DE QUE TEMOS SAUDADES E QUEREMOS DE VOLTA.
ENCONTRAMO-NOS QUANDO FINALMENTE DESCOBRIMOS QUE NÃO NOS PERDEMOS...APENAS ERRÁMOS O CAMINHO E ANDÁMOS A VAGUEAR POR AÍ...

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of jopeman

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Violentas Alegrias 5 753 10/20/2011 - 21:16 Português
Poesia/Pensamentos Gostei sobretudo das árvores que davam pássaros 5 756 10/20/2011 - 21:13 Português
Poesia/Amor sei que o amor é coisa de homens 1 834 10/20/2011 - 21:10 Português
Fotos/ - 1129 0 1.555 11/24/2010 - 00:37 Português
Fotos/ - 1127 0 1.880 11/24/2010 - 00:34 Português
Poesia/Pensamentos Sou Vadio 4 1.115 08/30/2010 - 09:57 Português
Poesia/Geral Destino Manifesto 2 1.246 08/22/2010 - 22:17 Português
Poesia/Aforismo Quietude (Desafio Poético) 4 817 08/02/2010 - 02:08 Português
Poesia/Dedicado Jopeman - O caminho (ao WAF) 2 855 07/06/2010 - 08:10 Português
Poesia/Amor A (quase) eterna leveza dos malmequeres 1 1.105 06/24/2010 - 05:05 Português
Poesia/Pensamentos A terra é só terra e eu penso nisso vezes demais 6 655 06/19/2010 - 22:44 Português
Poesia/Meditação Portas 7 891 06/12/2010 - 10:54 Português
Poesia/Meditação Que morram todos os sinais 1 827 06/12/2010 - 10:48 Português
Poesia/Meditação Viagem 3 970 06/12/2010 - 10:41 Português
Prosas/Contos Intuições 5 863 05/17/2010 - 22:01 Português
Poesia/Geral Só tu sabes! 6 833 05/17/2010 - 22:00 Português
Poesia/Alegria Corro 8 1.022 05/10/2010 - 15:06 Português
Poesia/Meditação As pedras não voam 11 893 05/02/2010 - 03:15 Português
Poesia/Geral Distâncias 9 938 04/07/2010 - 20:29 Português
Poesia/Geral Há aquelas coisas de que nunca penso se houver uma porta aberta 8 679 03/26/2010 - 09:42 Português
Poesia/Amor Amor de sol e lua (duo com Analyra) 7 959 03/23/2010 - 16:00 Português
Poesia/Geral Continuo sentado à varanda 7 954 03/17/2010 - 21:17 Português
Poesia/Desilusão O filho do vento 13 910 03/15/2010 - 15:56 Português
Poesia/Meditação O refúgio de D. Dinis 1 1.058 03/05/2010 - 13:08 Português
Poesia/Amor A dança dos amantes 1 989 03/05/2010 - 03:05 Português