Antes da palavra...

Os sonhos trautearam poemas sem sentido,
fecharam os olhos,
esticaram os braços,
entreabriram os lábios trémulos,
na ânsia de um mundo diferente...
Mas a realidade é apenas uma parede serigrafada
a preto e branco,
sem espaço para lágrimas de aço...
Amei cada letra do nome da minha pena,
cada milímetro da dor de um amor enfermo
que me levou pela mão ao Inferno demasiadas vezes...
Já não tenho mais escadas para descer,
ou salinas de alma para espraiar...
Virei-me do avesso para me encontrar
e perdi-me entre costuras e remendos...
E lá fora, no mundo dos outros,
nada mudou,
nem ninguém notou a minha ausência...
Se nunca tivesse nascido quem sentiria a minha falta?
Nunca quis ser indispensável,
bastava-se que me vissem de quando em vez...
E talvez sorrissem antes de olhar em diante...
Tenho em mim todas as magoas do mundo
e aguas límpidas de prazer, numa mescla homogénea...
Não sei descrever melhor este universo que cabe em mim,
assim, meio inverso aos outros,
criado por uma super-nova qualquer...
Sou mulher e sou um mundo
e esse ar todo que existe no entretanto...
Amor em estado liquido,
pranto ou canto de sereias mitológicas,
alheias a lógicas cientificas...
Um mito perdido num povo esquecido,
ou extinto,
ou evoluído no vazio...
Um nada que não se explica...
Um riso que não existiu,
porque ninguém o tivesse escutado...
Um poema sem sentido,
que passou ao lado,
apenas porque morreu na caneta inacabada
que o escreveu antes da palavra.

Inês Dunas

Libris Scripta  Est

Submited by

Thursday, September 8, 2011 - 09:50

Poesia :

No votes yet

Librisscriptaest

Librisscriptaest's picture
Offline
Title: Moderador Prosa
Last seen: 8 years 10 weeks ago
Joined: 12/09/2009
Posts:
Points: 2710

Comments

PMPM's picture

E trauteias tu, sentindo! Por

E trauteias tu, sentindo! Por entre poemas, esgueirados entre pálpebras, proferidas entre lábios, palavras...
Encostado à parede serigrafada, leio-te... Sorvendo cada "letrimetro".
Este não "passou ao lado" e "não morreu na caneta", nem na folha, nem por aí adiante... Levo-o comigo, para mudar "o mundo dos outros".

Sensível e delicado, mas firme, muito firme como é o teu costume. És pessoa e poetisa, és sentido!   Com uma peculiar capacidade de transparecer firmeza com fragilidade, mostras-te dura como o aço com palavras dóceis! Transpões-nos a tenebrosidades com melodias e a capacidade de amainar-nos o sentido escrevendo essas coisas todas...

Add comment

Login to post comments

other contents of Librisscriptaest

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/Sadness Quimeras... 2 3.683 06/27/2012 - 16:00 Portuguese
Poesia/General Presa no transito numa sexta à noite... 2 1.906 04/12/2012 - 17:23 Portuguese
Poesia/Dedicated Santa Apolónia ou Campanhã... 2 1.273 04/06/2012 - 20:28 Portuguese
Prosas/Others Gotas sólidas de gaz... 0 1.469 04/05/2012 - 19:00 Portuguese
Poesia/General Salinas pluviais... 1 1.672 01/26/2012 - 15:29 Portuguese
Prosas/Others Relicário... 0 1.724 01/25/2012 - 13:23 Portuguese
Poesia/General A covardia das nuvens... 0 2.034 01/05/2012 - 20:58 Portuguese
Poesia/Dedicated Arco-Iris... 0 2.163 12/28/2011 - 19:33 Portuguese
Poesia/Love A (O) que sabe o amor? 0 1.877 12/19/2011 - 12:11 Portuguese
Poesia/General Chuva ácida... 1 1.781 12/13/2011 - 02:22 Portuguese
Poesia/General Xeque-Mate... 2 1.591 12/09/2011 - 19:32 Portuguese
Prosas/Others Maré da meia tarde... 0 1.863 12/06/2011 - 01:13 Portuguese
Poesia/Meditation Cair da folha... 4 2.326 12/05/2011 - 00:15 Portuguese
Poesia/Disillusion Cegueira... 0 2.001 11/30/2011 - 16:31 Portuguese
Poesia/General Pedestais... 0 2.080 11/24/2011 - 18:14 Portuguese
Poesia/Dedicated A primeira Primavera... 1 1.947 11/16/2011 - 01:03 Portuguese
Poesia/General Vicissitudes... 2 2.026 11/16/2011 - 00:57 Portuguese
Poesia/General As intermitências da vida... 1 2.121 10/24/2011 - 22:09 Portuguese
Poesia/Dedicated O silêncio é de ouro... 4 1.889 10/20/2011 - 16:56 Portuguese
Poesia/General As 4 estações de Vivaldi... 4 2.380 10/11/2011 - 12:24 Portuguese
Poesia/General Contrações (In)voluntárias... 0 1.803 10/03/2011 - 19:10 Portuguese
Poesia/General Adeus o que é de Deus... 0 1.898 09/27/2011 - 08:56 Portuguese
Poesia/General Limite 2 2.199 09/22/2011 - 22:32 Portuguese
Poesia/General Quem nunca fomos... 0 2.438 09/15/2011 - 09:33 Portuguese
Poesia/General Antes da palavra... 1 2.824 09/08/2011 - 19:27 Portuguese